SLIDER


SARA GONÇALVES . PORTUGAL


[ STYLIST . CONSULTORA DE IMAGEM ]

paginaaolado@gmail.com

NEWSLETTER

TROIKA PARA TUDO ISTO..!

Lembro-me de na faculdade estarmos à conversa umas quantas colegas de turma, naquela circunstância de intervalo entre as aulas, e de conversarmos de como seria a nossa vida profissional e o que vestiríamos nos nossos futuros empregos.

Conversas que hoje se revelam sem qualquer sentido. Actualmente nós não temos emprego somos antes assalariados pela prestação do serviço que realizamos!

Se enquanto estudantes de liceu pensamos e repensamos no que queremos seguir como profissão que nos acompanhará toda a nossa vida, quando entramos na universidade, o curso para o qual nós e a nossa família se esforça para o conquistarmos é a nossa prioridade e esperança de conseguirmos alcançar uma vida melhor que a dos nossos Pais. 

Mas a verdade é que quando nos confrontamos com a realidade os nossos desejos, sonhos e ilusões vão inteiramente pelo cano a baixo!

Quando me questionam pela minha vida profissional sou obrigada a responder que não estou mal, face me encontrar a trabalhar na área para a qual estudei cinco anos e para a qual ainda me encontro a completar o mestrado (raios de tese!), trabalho esse que vem desde que terminei o curso…

No fundo a resposta que quer sair da minha boca é outra, é mesmo dizer que nunca estive tão mal como agora, que quando eu estudava e vivia sob a custódia dos meus Pais a vida era diferente e bem mais facilitada, eu tinha sonhos, que hoje já mos destruíram, eu tinha objectivos que hoje só me limito a sonhar! 

A resposta é sempre a mesma: o País está como se vê e todos nós recebemos mal para o trabalho que desempenhamos. Será? Questiono em silêncio, não estarão muitas das empresas a encobrirem o seu lado mesquinho de olharem os seus colaboradores como subordinados que tudo devem aos seus patrões pela colossal oportunidade de aprofundar os seus conhecimentos académicos, e ainda os remunerarem!

Não sei como tudo isto vai terminar mas a culpa é igualmente minha, porque se estou mal eu deveria mudar, porque se eu estou mal eu deveria arriscar, porque se eu estou mal eu deveria sair e o que é certo é que a minha revolta pelo menos hoje se fica apenas por este texto!

Presentemente afirmo: a minha vida profissional ainda não começou e a minha esperança de crescer é cada vez menor..

20 comments

  1. Gostei bastante do post. Também eu me lembro dos sonhos que tinha quando andava no secundário e como tudo no futuro parecia tão fácil. Mesmo na faculdade, e eu tirei um curso de comunicação conhecido pelos elevados números no campo do desemprego e tendo clara consciência disso, continuava a sonhar. Eu e as minhas colegas. Todas igualmente ingénuas.

    Tento manter os meus sonhos, mas o país que temos (e o mundo em que vivemos) não está para grandes sonhos. E o meu é apenas trabalhar naquilo para que me sinto talhada! Se calhar o caminho passa por ir lá por fora ou arriscar cá dentro.

    Eu não sei por onde o futuro me conduzirá, mas gostava de, daqui há alguns anos, olhar para trás e pensar que, apesar dos desvios, consegui cumprir aquilo a que me propus. Veremos!

    Beijinho.

    ReplyDelete
  2. Como te compreendo. Tenho dois filhos,o Fernando com 26 anos, licenciatura em Economia no ISEG, mestrado em Recursos Humanos, desempregado.
    A Inês 21 anos, licenciada em Biologia pelo FCL, actualmente no Brasil, em Manaus,a tirar mestrado e a pensar seriamente em lá ficar.

    Portanto os jovens estão mal, sem sonhos, explorados, e nós pais amargurados por os vermos assim.

    Beijinhos e vai à luta !

    ReplyDelete
  3. compreendo.te tao bem...sou recém licenciada e não consigo ter prespectivas: mando imensos curriculuns, cartas de apresentação diferentes e não vejo respostas...mas porque raio nada resulta? é só o que eu m sei perguntar!! começo a ficar decepcionada, quando escolhi Marketing para Licenciatura...não foi para isto!! :( das duas uma: ou quando terminar a pos-graduação dou o salto pra fora do país ou crio o meu proprio negocio (mas com que dinheiro??)

    ReplyDelete
  4. Percebo perfeitamente o que dizes. Enquanto estudantes, bem podemos tentar pensar que área de estudos nos proporcionará um futuro mais risonho. Mas actualmente, que área é que nos traz algum conforto? Desde as engenharias até ás letras, todo o mercado de trabalho parece estar lotado, e existe muito mais sub-emprego do que emprego "a sério".
    Mas acho que, não podendo mudar a situação do nosso país, a qual não tende a melhorar, temos de manter a mente aberta a diferentes oportunidades. Ás vezes a solução pode passar por mudar de área profissional ou área de residência. Talvez não seja aquilo que sempre quisemos, mas talvez consigamos ser felizes de outras formas em que nunca pensamos ser.

    ReplyDelete
  5. Pertenço ainda à fase do secundário em que temos mil e um sonhos e tudo o mais... Custa-me pensar que na realidade tudo isso se irá desfazer, mas com as notícias que se lêem diariamente é o mais provável :S

    ReplyDelete
  6. Percebo-te muito bem porque eu própria fiz todos esses planos. Parecia tão óbvio, tão natural. Era evidente que trabalharíamos, que seríamos bem sucedidos...
    Hoje vejo que foi tudo um sonho.

    ReplyDelete
  7. Como te entendo... Aquilo que idealizava quando estudava e queria para mim, não tem nada haver com a realidade. Trabalho dentro daquilo que estudei sim, mas a precariedade... E quando morava com os pais não tinha tantas preocupações e contas mas sabe bem ser independente :)

    ReplyDelete
  8. Infelizmente identifico-me com a maior parte do texto. É triste não termos o retorno de tudo o que damos e, por vezes, sermos explorados. Os sonhos e ilusões ficam pelo caminho ou por meras esperanças. Faço minhas as palavras da Cátia do LX e espero um dia olhar para trás e ver que isto foi o começo de uma longa e boa caminhada.

    *beijinhos

    ReplyDelete
  9. O meu sonho não é trabalhar eternamente na empresa em que me encontro actualmente mesmo que o trabalho faça seja da minha formação academica.
    Apesar de acordar e em muitos dias não me apetecer sair de casa, apesar de sentir que gasto mais dinheiro em ir trabalhar do que propriamente satisfação pessoal, apesar de querer tirar outros cursos ou um mestrado que me realizariam mais a nível profissional e pessoal e não ter como os financiar... apesar disto e muitas mais coisas, acredito e ainda tenho alguma esperança que pode mudar a qualquer momento... quero acreditar que se batalhei por um curso e se continuar a batalhar pelo que realmente quero e anseio irei conseguir.
    Se deixar de sonhar e se deixar de batalhar aí não valerá a pena continuar a viver, porque se morrer por dentro que restará???

    ReplyDelete
  10. Nada disto tem uma explicação ou uma solução lineares. Estamos muito reféns do tempo em que vivemos, disso não há dúvida - é um tempo muito castigador. Mas acredito que é nestas alturas que mais devemos ousar. Nós não somos muito atreitos ao risco mas julgo que vamos mesmo ser obrigados a isso. Quer a emigrar, quer a deixar os nossos empregozinhos medíocres e monótonos para embarcar num projecto arriscado mas bem mais ambicioso e criativo. Contra mim falo, que também me sinto dominada pelo desânimo montes de vezes mas... afinal, o que é que se faz sem risco? Fomos educados para temer os riscos como se fossem o diabo e isso deixa-nos menos preparados para lidar com esta crise. É-nos pedido que sejamos mais criativos, muito mais do que os nossos pais alguma vez tiveram de ser, mas a verdade é que ninguém nos deu ferramentas para treinarmos e desenvolvermos essa criatividade, o tão em voga "to think out of the box". E esta é uma das grandes tragédias do estado da educação em Portugal. A criatividade e o empreendedorismo são coisas que se aprendem e se trabalham, ao contrário do que as pessoas pensam. Por isso quero acreditar que, por força da necessidade e à custa de muito trabalho, iremos chegar a bom porto e pelo menos conseguir concretizar um bocadinho daquilo com que sempre sonhámos.

    ReplyDelete
  11. Gostei do texto e concordo com tudo o que foi dito. Ainda estou na faculdade, a tirar um curso que supostamente tem boas perspectivas de emprego mas não sei até que ponto é que isso é verdade. Vemo-nos forçados a ter de ir para ao estrangeiro e isso também não vai ajudar em nada a situação em que o País se encontra... Está cada vez mais complicado e a verdade é que não se prevê que melhore num futuro próximo...

    ReplyDelete
  12. Eu sei que isto está muito complicado para quem começa agora! As empresas simplesmente não estão a admitir ninguém!
    Espero que tudo melhore!

    ReplyDelete
  13. eles nem para os estágios nos querem, este país está um autentica merda, é meter-me daqui para fora mal possa

    ReplyDelete
  14. Todos nós já fizémos esses planos, e eu ainda continuo a tentar fazê-los. Estou agora a estagiar e não é fácil, mas é bom sonhar um bocadinho, apesar do país não o permitir

    Estou a promover um meeting de fashion bloggers. Podes ver aqui. Contamos com todos para levar esta ideia mais longe.

    LOVE, X SARA

    ReplyDelete
  15. Bem legal o seu texto, infelizmente essa é uma triste realidade que temos em nosso país. Beijinhos do TC!!!!!

    ReplyDelete
  16. Tens toda a razão! Apesar de ainda andar na faculdade sinto que o futuro não me reserva muitas coisas boas, mas acho que o importante é nunca desistir de alcançar os nossos objectivos nem nos acomodarmos à rotina!
    Só te posso desejar boa sorte e espero que consigas realizar todos (ou a maior parte) dos teus sonhos! Nunca desistas!

    ***

    ReplyDelete
  17. e infelizmente os vossos comentários são o espelho do nosso País..

    .. o bom, é que não somos de desistir e todas nós ainda nos vamos rir deste mau bocado porque nos encontramos a passar! (:

    ReplyDelete
  18. Acho muitooo sinceramente que algumas empresas se estão a aproveitar desta situação para "dificultar" a vida aos seus trabalhadores. Detesto ouvir "sabe quantas pessoas queriam estar no seu lugar?" e acho "piada" a sair e não encontrarem ninguém. Dizerem "Sabe quantas pessoas dariam tudo para entrarem num emprego às 9 da manhã mesmo sem ganhar dinheiro nenhum, só para dizer que têm um trabalho"? Não. Não sei quantas. É triste ver as empresas a não apostarem mais em quem sai da faculdade. A aproveitarem-se da "crise" para tudo.

    Não percas os teus sonhos. Um dia há-de chegar a oportunidade para os realizares. Pode não ser tão cedo quanto desejaríamos, mas com força de vontade esse dia chegará. Não desistas. Se há coisa que "esta juventude" não pode perder é a capacidade de sonhar e ACREDITAR que um dia tudo isto estará melhor!

    Beijo grande

    ReplyDelete
  19. É bem verdade, estamos muito mal e temos que fazer alguma coisa!! Tu pelo menos trabalhas na área para qual estudas-te já eu nem isso, mas tento não desanimar apesar de ser difícil!!

    ReplyDelete
  20. Sinceramente? Acho que muitas empresas aproveitam o tema "crise" para dar desculpas aos seus colaboradores. Muitas empresas não são assim TÃO afectadas com a crise, e no entanto fazem questão de despedir pessoal (olha que bom, dá jeito), de dizer aos seus colaboradores, desculpa lá, mas vais ter que continuar a recibos verdes (é que dá mesmo um jeitão).
    É assim que penso. Hoje em dia o bom é ser patrão =)

    Beijinhos
    Femmenina

    ReplyDelete

© PAGINA AO LADO • Theme by Maira G.